Páginas

sábado, 30 de abril de 2016

[78 rotações] Desafio das bandas


É um desafio de facebook na verdade que eu decidi fazer em formato de tag/lista no meu antro particular de idiossincrasias. E, como sou extremamente indecisa, vai ter mais de uma opção para cada item, sim! Dizem que é uma característica de todo libriano ter dificuldade em tomar decisões. E como a boa libriana que sou, ainda não decidi se acredito ou desacredito de horóscopo. Enfim, chega de papo e bora lá!

domingo, 24 de abril de 2016

[Nostalgia] Canal 21



"Meu Deus, como você é viciada em séries!"

Conclusão consideravelmente tardia a que minha mãe chegou no fim de semana passado. Estava eu, mais uma vez, fazendo alusão a algum personagem, ou comentando determinada cena de uma série... sinceramente não me lembro. Mas quando ela comparou a minha obsessão por séries ao vício dela por romances de banca durante a juventude, imediatamente tentei puxar pela memória quando a minha seriemania começou. 

A verdade é que não consigo definir qual foi o ponto de partida. A única afirmação que posso fazer é que o vício começou com as séries exibidas na TV aberta - a Rede Globo com a primeira, Barrados no Baile (meu passado me condena); a Rede Record com meu primeiro grande amor, Arquivo X; A Manchete com os Tokusatsus; o SBT com as mais variadas sitcoms como The Fresh Prince of Bel Air, Um Anjo Muito Doido, Full House e, por que não, Chaves

Claro que todas essas foram fundamentais para a minha obsessão se agravar no decorrer dos anos, mas teve uma emissora, hoje extinta*, que teve um papel extremamente marcante.

domingo, 17 de abril de 2016

[A vida, o universo e tudo mais] Dicas para produzir um bom texto



Na verdade, o título deste post já tem algo de sofista. Escrever um bom texto independe de regras. Você pode ser o mestre da gramática, dominar a língua portuguesa como ninguém, e ainda assim escrever um texto desinteressante. Por outro lado, já vi textos muito bons em blogs por aí afora que só necessitavam de revisão. Eram textos deliciosos no tom, na abordagem, no desenvolvimento, mas com alguns erros estruturais e de tipografia que incomodavam um pouco. Um texto irá depender de inúmeros fatores para ser considerado bom pelo leitor. Primeiro: ele é o público-alvo desse texto? Para quem ele é direcionado? Há uma diversidade de assuntos que podem lhe interessar, bem como uma imensa quantidade de tópicos aos quais você pode ser indiferente. Um texto ser considerado bom ou não dependerá do repertório não apenas do autor, como do leitor. É bastante subjetivo.

Dito isso, trabalhando esporadicamente como revisora freelancer – seja de apostilas de conteúdo e-learning, livros didáticos e postagens em sites – achei interessante fazer este post com o objetivo de dar algumas dicas gerais de como se escrever um texto legal, independente de para quem ele é direcionado.