Páginas

sábado, 25 de março de 2017

[Café com páginas] Mensagens Para Você - Cartas Inesquecíveis do Cinema

Eu nutro interesse e admiração por livros epistolares, embora não tenha lido muitos do gênero em minha trajetória como leitora – algo que pretendo corrigir. Nessa era em que as informações correm na velocidade da luz, são acessíveis para todos aqueles que possuem um smartphone ou um notebook ao alcance dos dedos e mensagens são trocadas com um imediatismo surpreendente, as cartas ainda são a mais poética forma de comunicação entre duas pessoas. Esqueça as correntes e os bons dias nos grupos da família no whatsapp. A aura lírica e o encanto quase enigmático das cartas superam qualquer rede social ou aplicativo moderno.

Dá para acreditar que, nos anos 1990, que nem estão assim tão longe, as pessoas ainda se correspondiam por meio de epístolas? Muitos não tinham telefone em casa (era caro instalá-los e mantê-los), e tinham de se contentar em esperar com ansiedade a chegada do carteiro que depositava a correspondência na caixinha do correio. Hoje, ainda aguardamos sua vinda com ansiedade, mas para receber nossas encomendas da Amazon e do AliExpress.

Mensagens Para Você – Cartas Inesquecíveis do Cinema de Mariza Gualano é um livro que reúne algumas das cartas mais famosas, belas, alegres e tristes do cinema. A ideia do livro é muito bem sacada e a execução não decepciona. Tanto a seleção de cartas quando o projeto gráfico são de encher os olhos. Daqueles livros para se ler em uma tarde e manter na estante e no coração pelo resto da vida. 

quinta-feira, 16 de março de 2017

[Escritora de quinta] Textão sobre dicas para ser feliz


Você quer ser feliz? Não leia os comentários. Nem de sites, nem de blogs, nem do youtube. Muito menos dos portais de notícias. Há pessoas venenosas, inventando histórias. Pessoas que dispõem de muito tempo ocioso para elaborar mentiras e proclamar maldades. Provavelmente, elas estão numa pior, sem emprego, não estudam e ainda não conheceram a Netflix. Por isso estão postando comentários amargos e cruéis pela internet afora.

domingo, 12 de março de 2017

Títulos Nacionais de Filmes Estrangeiros - Oscar 2017

Inspirada por uma das minhas últimas leituras, o Perdidos na Tradução, de autoria do professor e tradutor Iuri Abreu, que fala sobre os títulos nacionais de filmes estrangeiros, decidi analisar os nomes que os filmes que concorreram à categoria principal, a de melhor filme, no Oscar deste ano, receberam por estas bandas. Já de cara não é preciso analisar muito para perceber que a febre do subtítulo acometeu as distribuidoras na hora de lançar os longas em território brasileiro.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

[Café com páginas] A Vida Com Logan: O Mundo em Nosso Quarto


E as HQs continuam prevalecendo em minhas listas de leituras:

Outra das minhas aquisições na Bienal de Quadrinhos de 2016 foi A Vida Com Logan: O Mundo em Nosso Quarto de Flavio Soares. Em tom autobiográfico, o quadrinho retrata o cotidiano de um casal e seus dois filhos, Logan e Max. O primeiro possui síndrome de down, mas esse passa longe de ser o foco da obra. Para falar a verdade, se eu não tivesse assistido à mesa Quadrinhos e Inclusão (da qual o autor participou) antes de comprar a HQ, só me daria conta de que o garoto é portador da síndrome lá pela página 34. Aliás, não me daria conta. Na verdade, é nessa página que a síndrome é mencionada. Isso porque Logan é um garoto comum, com uma grande imaginação como qualquer outra criança. Talvez, sua imaginação seja um pouco mais afiada do que a dos demais. Seu universo de faz de conta é construído a partir de seu repertório. E seu repertório é composto e moldado a partir daquilo que seu pai - um viciado em cultura pop - lhe apresentou. Portanto temos ótimas, pontuais e deliciosas referências a Batman, Calvin e Haroldo, Prison Break e Indiana Jones, só para citar alguns. A série de tirinhas compiladas neste álbum nos proporciona momentos ternos e divertidíssimos, no qual podemos conferir o cotidiano de Logan e os problemas inerentes a toda e qualquer família existente, o que torna fácil (e até mesmo inevitável) a identificação e conexão com os personagens. Ter acesso a um pouquinho do que é a vida com Logan é um deleite.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

[Perdida em traduções] Cinquenta tons de um relacionamento abusivo

Uma das coisas que eu mais gosto de fazer é traduzir. Desde pequena, eu pegava os encartes dos CDs da minha irmã, um dicionário de inglês e passava as minhas tardes traduzindo as letras de música. No começo desse ano eu fiquei feliz da vida ao encarar dois freelas de tradução. E foi por essas e outras que decidi criar esta seção de traduções livres aqui no blog. 

Por que traduções livres? Bem, porque a ideia é traduzir, mas eu também tenho um estilo de texto muito forte, então eu não vou me limitar a traduzir. Gosto de dar minha cara a tudo aquilo que escrevo ou interpreto. 

De onde surgiu o nome da seção? Do filme Lost in Translation. O nome deste filme (já tão comentado por mim) é até irônico. Os filmes costumam ganhar traduções sofríveis aqui no Brasil e em Portugal. E justo aquele que tinha como título "Perdidos em Traduções" recebeu o nome de Encontros e Desencontros por estas bandas. Tá que nem é tão ruim, mas não tem nada a ver com o original

Sem mais delongas, vamos à tradução de hoje.