Páginas

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

[Café com páginas] A Vida Com Logan: O Mundo em Nosso Quarto


E as HQs continuam prevalecendo em minhas listas de leituras:

Outra das minhas aquisições na Bienal de Quadrinhos de 2016 foi A Vida Com Logan: O Mundo em Nosso Quarto de Flavio Soares. Em tom autobiográfico, o quadrinho retrata o cotidiano de um casal e seus dois filhos, Logan e Max. O primeiro possui síndrome de down, mas esse passa longe de ser o foco da obra. Para falar a verdade, se eu não tivesse assistido à mesa Quadrinhos e Inclusão (da qual o autor participou) antes de comprar a HQ, só me daria conta de que o garoto é portador da síndrome lá pela página 34. Aliás, não me daria conta. Na verdade, é nessa página que a síndrome é mencionada. Isso porque Logan é um garoto comum, com uma grande imaginação como qualquer outra criança. Talvez, sua imaginação seja um pouco mais afiada do que a dos demais. Seu universo de faz de conta é construído a partir de seu repertório. E seu repertório é composto e moldado a partir daquilo que seu pai - um viciado em cultura pop - lhe apresentou. Portanto temos ótimas, pontuais e deliciosas referências a Batman, Calvin e Haroldo, Prison Break e Indiana Jones, só para citar alguns. A série de tirinhas compiladas neste álbum nos proporciona momentos ternos e divertidíssimos, no qual podemos conferir o cotidiano de Logan e os problemas inerentes a toda e qualquer família existente, o que torna fácil (e até mesmo inevitável) a identificação e conexão com os personagens. Ter acesso a um pouquinho do que é a vida com Logan é um deleite.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

[Perdida em traduções] Cinquenta tons de um relacionamento abusivo

Uma das coisas que eu mais gosto de fazer é traduzir. Desde pequena, eu pegava os encartes dos CDs da minha irmã, um dicionário de inglês e passava as minhas tardes traduzindo as letras de música. No começo desse ano eu fiquei feliz da vida ao encarar dois freelas de tradução. E foi por essas e outras que decidi criar esta seção de traduções livres aqui no blog. 

Por que traduções livres? Bem, porque a ideia é traduzir, mas eu também tenho um estilo de texto muito forte, então eu não vou me limitar a traduzir. Gosto de dar minha cara a tudo aquilo que escrevo ou interpreto. 

De onde surgiu o nome da seção? Do filme Lost in Translation. O nome deste filme (já tão comentado por mim) é até irônico. Os filmes costumam ganhar traduções sofríveis aqui no Brasil e em Portugal. E justo aquele que tinha como título "Perdidos em Traduções" recebeu o nome de Encontros e Desencontros por estas bandas. Tá que nem é tão ruim, mas não tem nada a ver com o original

Sem mais delongas, vamos à tradução de hoje.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

[Meus Escritos] Pílulas #1


Tem coisas que não nos caem bem. Que são como peças de roupa de um número muito maior ou muito menor que o nosso. Ou aqueles sapatos apertados que pegam no calcanhar. Ou aqueles tão soltos que saem do pé enquanto caminhamos. Amizades tóxicas, relacionamentos tóxicos, agressões verbais, falta de educação. São coisas que não nos caem bem. Dispa-se delas. Desfaça-se. Desapegue. Mande-as para o lixo. Vista-se de amizades sinceras, relacionamentos saudáveis, palavras gentis, boa educação. Vista-se com aquilo que lhe cai bem.

 ^___^
(@_@)
(^^^^^)
/ '''''' \