Páginas

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

[Escritora de Quinta] Ame-se


Ah, se amar... Se amar é bom demais. Nem sei bem por onde começar a falar sobre como é bom se amar. Estar contente e confortável com quem você é. Claro, não precisa estar totalmente satisfeito, afinal a insatisfação é que te leva a superar seus próprios limites, a encarar novos desafios, a tentar coisas novas todos os dias. Satisfação te leva ao comodismo. Mas voltando ao assunto sobre amar a si mesmo, o importante é aceitar que você é quem você é. E isso não deve mudar e nem ser algo ruim. Lembra-se daquela antiga música do Balão Mágico? Não precisa mudar. É tão lindo. Deixa assim como está. Pois é. 

Então tente. Olhe no espelho, encare seu reflexo. Há muitas coisas boas em nós que podemos usar a nosso favor. Esqueçamos por um momento dos nossos graves e desastrosos defeitos e foquemos no que há de bom em nós.

Mas enquanto você não respeitar a si mesmo e seus sentimentos, aprender a se amar será um processo árduo. Você não se respeita quando permanece alimentando relações não saudáveis. Você não se respeita, não cresce e não se ama quando permite que pessoas que você sabe que te fazem mal, continuem se aproximando e te machucando. Você não se respeita e não se ama nem um pouquinho quando não põe um ponto final em amizades tóxicas.


A pessoa ser tóxica, passivo-agressiva, competitiva, não te dar nenhuma palavra de solidariedade ou de incentivo, sempre te colocar para baixo e emanar energia negativa é um defeito gravíssimo. Mas é um defeito dela e com o qual ela mesma tem de lidar. Enquanto ela agir assim, suas amizades não irão durar e ela terá que aprender a se acostumar com a solidão, pois será tudo o que lhe restará. Mas você continuar alimentando vínculos com pessoas tóxicas, ao invés de se afastar... Bem, esse é um problema seu. Continuar tentando salvar uma amizade que não existe (é uma via de mão única, um sentimento sem reciprocidade) demanda um esforço tão grande que esgota as suas energias e te destrói aos pouquinhos. Enquanto a outra não mudar sua atitude, não importa o seu desejo e esforço, será perda de tempo, perda de energia. No final você vai se frustrar e, o pior, ela continuará te magoando e te fazendo mergulhar em uma constante agonia por se tratar única e simplesmente de um relacionamento tóxico.


Nos últimos anos foi o que eu fiz. Afastei-me dessas pessoas, me desfiz dos vínculos, terminei amizades tóxicas. Elas não me ofereciam nada de bom, não me acrescentavam em nada. Faziam cobranças e exigências que eu não era capaz e nem mesmo queria atender. Apenas me sugavam. Aproveitavam-se das coisas boas que eu tinha a oferecer e me deixavam para baixo. Competiam comigo mesmo nas situações mais bobas, fúteis, frívolas. Negavam-se a me fazer um elogio ou me incentivar, me estimular. Não comemoravam comigo minhas conquistas, muito pelo contrário. Recebiam com desdém ou invídia as novidades que eu trazia. Torciam íntima e secretamente pelo meu fracasso... 

Não vou dizer que foi fácil. De fato, não foi. Eu queria acreditar que ainda havia algo de bom nelas, que elas poderiam mudar. Mas não mudaram. Fiz minha parte: me afastei, desejando que, um dia, elas consigam amar incondicionalmente. Consigam fazer uma amizade sem quererem nada em troca, sem enxergarem rivalidade, sem terem medo de que o amigo ou amiga conquiste coisas melhores do que elas, que entendam que realização pessoal depende de muito trabalho, muito esforço, não de cobiçar o sucesso do outro. Desejo que consigam ser felizes.

Mas desculpa, na minha vida não há mais espaço para elas.


E foi assim que eu reaprendi a amar a mim mesma. Do meu lado, estão apenas aqueles que me fazem bem, com quem eu partilho risadas fáceis, aqueles que acrescentam, que, juntos, comemoramos as conquistas um do outro. Há apoio mútuo, recíproca verdadeira, amizades reais e sinceras. Demorei a me respeitar e me amar, excluindo pessoas que me faziam mal da minha vida. Mas fez um bem...

Se você ainda não o fez, sugiro que faça. Comece deletando aqueles antigos e-mails trocados (nos quais havia palavras excessivamente doces e declarações melosas, mas que você consegue sentir a falsidade e o caráter passivo-agressivo de longe), aperte o botão de unfriend no facebook, de unfollow no twitter e no instagram, remova o contato da agenda no celular. Nem é tão difícil quanto a gente pensa. É só uma questão de tentar e de aprender a se amar.


Ame-se!

Bem vindo, setembro! :) *Salut* 

Um comentário:

  1. Se amar, se amar e se amar. Temos que ter amor próprio. Nada melhor <3

    http://www.leiturateen.com/#

    ResponderExcluir