Páginas

segunda-feira, 27 de julho de 2015

[A vida, o universo e tudo mais] Roubando infâncias...


Há mais ou menos um mês, uma amiga me procurou na por meio de mensagem inbox no facebook. O que eu achei que era um simples, mas carinhoso recadinho de uma pessoa muito querida para mim, elogiando meu blog e me dando bronca por demorar tanto a responder no whatsapp (como eu tenho preguiça de whatsapp!), acabou se convertendo em um depoimento mais do que surpreendente. Chocante mesmo. Ela relatou um dos episódios mais sombrios de sua infância e pediu para que eu o postasse no meu blog, pois precisava desabafar, revelar um segredo, escondido por tantos anos, em um espaço que tivesse maior alcance do que um mensagem privada de facebook. De maneira anônima, contudo. A pedido dela, decidi preservar sua identidade, mas postar o que me pediu exatamente com suas palavras. É muito importante que vocês leiam:


Oi, Dri :)
Em primeiro lugar, parabéns pelo blog! Você continua sendo a melhor na arte de escrever.
Por mais que você negue o título de "escritora" é isso que você é. Você tem o dom das palavras e quando eu crescer espero ter esse dom também rsrsrs
Eu gostaria de te pedir uma coisa... Claro, se for possível e só se você quiser... Mas eu gostaria que você postasse uma revelação minha no seu blog. Sei que parece estranho pedindo assim, mas é que é importante pra mim. Há muitos anos eu escondo um segredo de quase todos os meus familiares e amigos. Nunca tive coragem de contar a ninguém a não ser a uma amiga que tem guardado esse meu segredo há cinco anos também. E agora quero dividir com você e com os leitores do seu blog. Acho que é importante para deixar um alerta, quem sabe? É difícil falar sobre isso e confesso que tenho pensado muito a respeito e até mesmo relutei em pedir isso pra você, mas como gosto muito do seu blog e acho que seria importante desabafar o que eu vivi , decidi finalmente me abrir com você. Explico o motivo: eu não aguento mais esconder isso, quero desabafar, mas ao mesmo tempo, não tenho coragem de revelar a todos à minha volta, portanto peço que preserve minha identidade no seu blog. Dando esse depoimento, mas não revelando meu nome, sinto que estou tirando um pouco do peso que venho carregando em minhas costas há tantos anos. Eu não tenho um blog e acho que não ousaria revelar isso mesmo se tivesse um, correndo o risco de meus parentes lerem... Por isso te procurei. Assim, eu não me exponho, já que ainda não tive coragem o suficiente para fazer isso (e sei que deveria, mas é complicado), mas a minha mensagem vai atingir os leitores do seu blog e é esse alcance que me interessa, pois desejo que isso sirva de alguma ajuda para alguém que passou ou passa pelo mesmo que eu passei... ou para que quem é pai ou mãe fique atento: fui vítima de abuso sexual na infância. Por uma pessoa da minha família. Não gosto nem de pensar quando isso começou, visto que ela cuidava de mim desde que eu era um bebê. Ela sempre cuidava de mim quando meus pais saiam à noite e, mesmo com pouca idade, já notava que havia algo de estranho na forma como ela me tocava. Aquilo não era normal... Eu nunca tive coragem de contar aos meus pais o que acontecia, pois tinha medo que eles dissessem que eu estava inventando ou que estava vendo coisas onde não tinha, pois a pessoa que abusava de mim era da família e eles juravam que a conheciam bem demais. Não é minha intenção relatar o que essa pessoa fazia comigo. Não seria confortável pra mim e nem mesmo pra você, na qualidade de ouvinte/leitora desse depoimento. Não seria confortável pra ninguém. Mas o que preciso dizer é que essa pessoa destruiu a minha infância. Me obrigou a crescer muito rápido e, o pior: cresci muito tímida, retraída, com uma aversão ao toque que, para muitos, sempre pareceu inexplicável. Ela conseguiu prejudicar meus relacionamentos futuros e eu jamais consegui me envolver normalmente com ninguém. Cresci insegura, muito autoconsciente, com um pouco de nojo do toque dos outros em mim... É difícil explicar o que eu passei e como isso me afetou, mas me afetou muito... Gosto nem de pensar quantas outras foram vítimas dessa pessoa... às vezes paro e penso que hoje ela é casada, com filhos... Ainda tenho que vê-la de vez em quando e ela me encara como se nada tivesse acontecido no passado... Ela roubou de mim anos preciosos, minha inocência. Essas feridas vão ficar pra sempre em mim e creio que jamais vão se curar realmente.
Dri, espero que você acate meu pedido de postar isso em seu blog, que possa servir de exemplo e que encoraje as pessoas a denunciarem essa atrocidade se tiverem conhecimento de algum caso semelhante. O silêncio nunca é a melhor opção quando se trata de abuso sexual. Mas, infelizmente, eu não tenho a coragem e a segurança de dizer em alto e bom som o que eu vivi... Bjos! 

Já tive que ler comentários como: só porque se formou em comunicação e escreve bem, acha que pode dar pitaco em qualquer assunto, que entende de tudo. 

Foi uma indireta, mas eu sei que foi pra mim :)

De qualquer forma, é um tanto injusto quando eu mesma declaro que não entendo lhufas de várias coisas. Já confessei neste blog, no meu texto sobre a Copa do Mundo, que não entendo de futebol. Mas os pontos que contemplei no artigo não exigiam amplo conhecimento a respeito do assunto.

Também disse, aqui no Sonhos, que não entendo lhufas de bulhufas e nem vinas de patavinas de moda. Eu me arrisco a escrever sobre, mas não sem antes pesquisar. É como uma forma de me auto-desafiar (ou seria autodesafiar?) e sei que, aos olhos de quem realmente entende do assunto, pareço amadora.

A questão é que eu não falo nada sem antes pesquisar muito. Eu leio pra caramba. Mas eis um assunto que me deixou sem palavras. Em que não posso apenas consultar meu repertório quando vocábulos apenas não bastam. 

Eu não passei pelo que esta amiga passou. Realmente fiquei em choque.

Quando conversei com ela sobre o assunto, me senti impotente. Não sabia o que dizer e nem como ajudá-la. Tentei aconselhá-la, mas não há nada de mais inútil do que conselhos quando você não compreende exatamente a situação pela qual a pessoa passou.


Tudo o que posso dizer realmente é que fico triste, chocada, revoltada com essa realidade. Que sinto asco, nojo, repulsa por esta pessoa, mesmo sem conhecê-la, e por todos aqueles capazes de cometer tal barbárie.

Querida amiga, eu me sinto feliz e grata por saber que você confia em mim a ponto de desabafar, de confessar o seu segredo mais perturbador e por me pedir para postar no meu blog a fim de que isso possa alcançar mais pessoas. Sei que não recebo tantas visitas e quase não o divulgo, mas tenho alguns leitores fiéis que, volta e meia, comentam sobre os meus textos no facebook e whatsapp. Espero que postar aqui, sirva de alguma ajuda.

Também gostaria de dizer que você é uma pessoa maravilhosa, cheia de determinação e um excelente ombro amigo. Lamento muito que tenha passado por isso e que não seja possível apagar essas lembranças horríveis de seu passado. Lamento que essa pessoa asquerosa tenha lhe roubado sua infância e inocência, lhe fazendo crescer tão rápido e da pior e mais dolorosa maneira possível. Lamento saber que o seu caso é mais um entre tantos. Que há um número assustador de crianças que passa por isso todo dia. Acima de tudo, lamento não poder fazer nada para lhe devolver sua vida sem esses traumas.

Essas feridas vão ficar para sempre, como você disse. Dificilmente irão cicatrizar. Prejudicou seus relacionamentos e desenvolveu em você uma fobia e aversão ao toque... E isso me entristece. Eu me coloco em seu lugar e não sei se sinto mais angústia, repúdio ou raiva. É uma confusão dos piores sentimentos existentes...

E espero que a pessoa que fez isso com você não torne a roubar a vida de mais ninguém.

Se você souber de algum caso como o relatado neste post, de abuso sexual infantil cometido dentro do próprio lar, não deixe de denunciar essa atrocidade.

Disque 100 para denúncias de violação de direitos de crianças ou adolescentes, principalmente em casos de abuso ou exploração sexual. O serviço é gratuito e a denúncia pode ser feita anonimamente. 

Alguns sites válidos:
Childhood
CEDECA
Liga Solidária

Estas são as ONGs sobre as quais já li diversas vezes. Mas há várias outras. Quem souber de mais alguma, pode postar nos comentários que eu acrescentarei no post. 

Beijos!

3 comentários:

  1. Andrizy, isso é um assunto muito sério mesmo e acontece por demais por ai. Que coragem essa menina teve em relator e desabafar todo que ela passou. Ficamos mesmo impotentes diante desa real crueldade.
    Bjos,
    http://www.dmulheres.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Belo post de utilidade pública! Pense que você deu voz a essa pessoa, e possibilidade de desabafar em seu blog. Isso é incrível.

    http://www.jj-jovemjornalista.com/

    ResponderExcluir
  3. Belo post, além de muito util, achei incrivel!

    http://gotasdecaffe.blogspot.com.br
    https://www.facebook.com/GotasdeCafeblog
    xxx

    ResponderExcluir