Páginas

sábado, 22 de agosto de 2015

[Bate-papo nerd] Dreamcast: Ciclope

Tye Sheridan foi o ator escalado para viver uma versão
mais jovem do mutante Ciclope
X-Men Apocalypse estreia em 27 de maio de 2016 e contará a origem de alguns dos mutantes emblemáticos da saga oriunda dos quadrinhos; os mesmos que integraram a equipe principal nos primeiros filmes dirigidos por Bryan Singer, ainda no início da década passada: Ciclope, Jean Grey e Tempestade. O primeiro foi interpretado pelo ator James Marsden em X-Men (2000), X-Men 2 (2003) e X-Men: O Confronto Final (2006) - este último dirigido por Brett Ratner - mas, infelizmente, foi um dos vários personagens eclipsados pelo Wolverine de Hugh Jackman, reduzido ao papel de figurante de luxo. 

O promissor Tye Sheridan foi escalado para interpretar a versão mais jovem do personagem em Apocalypse (cujas filmagens se encontram na reta final), uma escolha que dividiu opiniões. Sheridan tem a difícil missão de finalmente fazer justiça ao Ciclope dos quadrinhos, o líder de campo dos X-Men e aluno predileto do mentor dos mutantes, Charles Xavier. Bryan Singer, novamente na direção, promete dar um foco especial à entrada destes jovens mutantes na equipe em um longa que se passará na década de 1980. Como fã do personagem, confesso que estou apreensiva, mas cheia de esperanças de que, finalmente, o meu X-Men favorito tenha um merecido destaque em uma aventura dos mutantes no grande ecrã.

Mas qual seria a melhor escolha para interpretar uma versão mais madura do personagem? Em um bate-papo com meus dois grandes amigos, Vitto Araujo (super fã de quadrinhos) e R. Skywalker (aficionado por sci-fis, especialmente Star Wars, como já deu para perceber pelo pseudônimo do sujeito), a gente falou sobre o dreamcast do Ciclope - quem seria o ator perfeito para interpretá-lo, baseando-se nos nomes que foram cogitados para o primeiro filme de 2000, além de Marsden. Confira:

Vitto: Os atores que foram pensados para o papel de Ciclope, que acabou ficando com o James Marsden em 2000, foram Thomas Jane, Jonny Lee Miller, Eric Mabius, Owen Wilson, Edward Burns, Edward Norton, Jude Law, Jim Caviezel.

Skywalker: E aí, Drizy? você que é fanzoca do personagem, qual seria tua escolha?

Vitto: Porra, Thomas Jane seria bem bacana, hein?

Thomas Jane
Drizy: Eu não acho que funcionaria.

Vitto: Mas, de repente, poderia ser aquele tipo de escolha que a gente não aceita bem de início, mas que viria a surpreender.

Drizy: Não sei, não seria a minha primeira escolha. Thomas Jane tem cara e porte de vilão ou de anti-herói.

Vitto: Bem, ele foi Justiceiro, né?

Thomas Jane
Drizy: Pois é. Dentre as opções, eu dispensaria sem pestanejar Jude Law. Gosto dele como ator, mas não para Ciclope.

Vitto: E ele não tem perfil para filme de super herói. A não ser que fosse um vilão.

Drizy: Não sei quem são Jonny Lee Miller e Eric Mabius, mas procurei imagens deles na internet e nem um, nem outro tem o biótipo para o personagem. Esse Mabius tem um jeito de vilão caricato de filme cyberpunk

Vitto: Hahahaha!

Skywalker: Mabius é do Resident Evil.

Vitto: E ator de séries também. Tava procurando aqui, ele já fez The O.C. e outras que eu nunca gostei. Jonny Lee Miller foi casado com a Angelina Jolie. Fez Melinda e Melinda e Trainspotting, Dri. Ele protagoniza Elementary também.

Drizy: Nem lembrava dele em Trainspotting, sério! Hahaha! Não liguei o nome e nem o rosto ao Sick Boy. Vi que ele fez Dracula 2000 também. Lembro mais ou menos desse filme. Achei bem ruim. E, gente! Ele foi o Knightley na adaptação para a TV de Emma, minissérie da BBC. Tava uma graça nessa. Mas mantenho a opinião de que não tem nada a ver com Ciclope.

Vitto: É um ator até interessante. Mas é daqueles que a gente vê em vários filmes e séries e nunca guarda o nome.

Skywalker: Verdade. E o Mabius não fez quase nada de relevante mesmo.

Drizy: Owen Wilson, nem se o Stanley Kubrick ainda fosse vivo e chamasse esse cara para atuar em um filme dele, eu não assistiria.

Vitto: HAHAHAHAHAHAHAHA!

Skywalker: Hahahahahahahaha!

Vitto: Isso em um universo totalmente hipotético, né? Kubrick jamais chamaria.

Drizy: Edward Burns eu preciso pensar melhor a respeito, mas eu acho que poderia funcionar.

Skywalker: Será?

Vitto: Acho que ele tem uma cara de cafajeste. O Ciclope precisa ter cara de bom moço e, ao mesmo tempo, impor respeito. Burns impõe respeito, mas, da cara de bom moço, ele passa longe.

Drizy: Acho que além de charmoso, ele transmite uma confiança e um senso de responsabilidade. Creio que funcionaria tanto quanto um professor dos mutantes mais jovens, como quanto líder de campo da equipe. Mescla bem o ar diplomático com o herói de ação.

Edward Burns
Vitto: Ah, sei lá! Ele faz o tipo anti-herói pra mim.

Skywalker: Eu acho que ele combinaria, sim. Eu não conheço os quadrinhos. Mas pelo que a Drizy já me falou do personagem - e que aquele do filme está bem distante do Ciclope do original - eu acho que poderia ficar legal, sim. Ele tem um jeito sério, responsável...

Vitto: Eu acho que queriam realmente um cara mais jovem para o personagem. O Burns sempre pareceu maduro demais.

Skywalker: Eu já acho que o erro foi colocarem um cara jovem demais. Ainda mais como líder. Se a Drizy não me contasse que ele era o líder, confesso que nem iria perceber. Quando assisti, achei que ele só era o aluno xodó do Xavier e que tinha certos privilégios ali. Para liderar uma equipe com tantos mutantes megapoderosos, tinha que ser um cara mais durão, mas, ao mesmo tempo, ter um jeito protetor. O Burns passa isso.

Edward Burns
Drizy: Eu concordo, Sky. Acho que o único problema é que a gente não pode julgar muito pela atuação já que ele não fez nada de muito relevante que exigisse mais dele. Vi bem poucos filmes do Burns (os mais conhecidos) e em nenhum ele tinha um papel muito desafiador.

Vitto: Também não acho Ciclope um papel desafiador. É um herói clássico, o cara correto. Não que eu não goste do personagem. Na real eu gosto pra caramba do Ciclope dos quadrinhos e dos desenhos animados, mas não tem muito segredo. Basta ter um biótipo que combine, passar a imagem de um cara sério, íntegro e mandar bem na ação. Até o Chris Evans conseguiu mandar bem nessa com Capitão América.

Drizy: Mas precisa ser expressivo e saber transmitir emoções diversas com os olhos cobertos.

Vitto: Tem essa, é verdade!

Drizy: E acho que, isso, Chris Evans não saberia fazer, por exemplo. Não acho ele ruim como ator, mas é limitado.

Vitto: Eu curti Chris Evans como um herói mais clássico, que é o Capitão; e como um herói brincalhão, que não leva nada muito a sério, mais deslumbrado com a fama, que é o caso do Tocha Humana.  Acho que ele é a melhor coisa do Quarteto Fantástico do Tim Story.

Drizy: Sim, caiu bem nos dois papéis. Mas ele funciona em filme de ação. Não consigo comprar o Evans em um drama, nem mesmo em comédia romântica. Acho ele limitado ao herói de ação. Tanto o tipo clássico, quanto o mais rebelde e descontraído.

Vitto: Ele é bom com estereótipos.

Drizy: E não é porque eu sou fã, mas o Ciclope é um personagem mais complexo. Ele tem todo o drama da origem dele, a morte trágica de sua família, o conflito com os poderes que ele não pode controlar... Parece que carrega o peso do mundo sobre os ombros, vive para os X-Men porque é a única família que ele tem e trata-se de um herói trágico.

Vitto: Sim, essa angústia é um traço do personagem que deveria ter sido trabalhado. Tanto com relação à origem dele, que vai ser explorada no próximo filme, como no tocante aos poderes. Afinal, o menor descuido e ele pode matar alguém que ele ama. Por isso ele é distante.

Drizy: Isso! Acho que o Burns passaria bem essa frieza.

Vitto: Ainda acho que ele tem cara de anti-herói, de pistoleiro.

Drizy: Ok. Discordamos nessa. Mas as minhas opções favoritas dessa lista são o Edward Norton (que também foi pensado para Wolverine) e Jim Caviezel.

Vitto: Porra, Norton como Wolverine? Nada a ver.

Skywalker: Bizarro! Mas o Norton não foi um herói?

Vitto: Foi o Hulk.

Drizy: Sim, o Hulk. Que eu nunca assisti direito. Requer revisão.

Vitto: Não curti como Hulk, não. Nem por culpa dele. Não gostei da direção nem do roteiro.

Skywalker: Não preciso nem falar que eu não assisti, né?

Vitto: Óbvio!

Drizy: Já sabia, nem precisava falar.

Skywalker: Hehe!

Vitto: O Norton nunca fez o tipo herói clássico. Ele é sempre anti-herói ou um personagem ambíguo.

Drizy: Mas é algo contrastante com a aparência dele. Eu acho que ele tem cara de bom moço.

Vitto: Pode ser, mas se especializou em papéis complexos e dúbios bem por essa época em que X-Men foi adaptado para o cinema... Então não sei se eu conseguiria comprar.

Drizy: Eu vi o Norton em O Despertar de Uma Paixão, esses dias. Foi lançado há alguns anos, mas só fui ver recentemente..

Vitto: Que é um filmaço, inclusive.

Drizy: Sim. Um bom filme. E ele faz o papel do bom moço ali. Um cara íntegro, sério, frio, distante, ponderado. Tudo o que o Ciclope original é.

Vitto: E um corno com classe e dignidade...

Drizy: Hahahaha! Se fosse ele ali nos filmes do Singer, seria isso também.

Vitto: Haha, fato! Mas tenho minhas reservas.

Skywalker: Do Burns para o Norton é um abismo, né? O Burns condiz mais com o que vocês já me disseram do Ciclope e do que eu pesquisei na wikipédia e x-pédias da vida sobre o personagem.

Drizy: Mas se o Singer queria um Ciclope que aparentasse mais jovem (apesar de ambos os atores terem praticamente a mesma idade), o Norton seria uma boa escolha. Ele ainda tem essa cara de moleque, mas, como o Vitto disse ali em cima, impõe respeito, funciona como líder.  É um cara que eu vejo nesse papel, sendo o protetor e o guia, disciplinando e tendo os mutantes mais jovens o seguindo como uma referência. O X-Man dos sonhos do Xavier.

Edward Norton
Skywalker: E é o Norton, né? É um ator foda.

Drizy: E o que eu admiro nele é a capacidade de se transformar a cada performance. Ele sempre convence, sempre torna o personagem crível, se entrega mesmo.

Vitto: Tem isso também. A transformação.  Você falando agora, nem sempre as escolhas óbvias funcionam bem. Muitas vezes as escolhas para as quais a gente torce o nariz, surpreendem.

Drizy: O próprio Hugh Jackman é uma prova disso. Muita gente fala, hoje, que o cara é o Wolverine porque, além de uma atuação incrível, ficou marcado na cabeça de quem só tem os filmes do Singer como referência. Quem já conhecia o personagem dos quadrinhos sabe que o Wolverine não se parece com o Hugh Jackman.

Vitto: Mas nem em sonho! O Wolverine é feio, baixinho, atarracado. E tem cara de ser fedorento também.

Drizy: Hahahahaha!

Skywalker: Porra, tudo o que o Jackman não é, né?

Drizy: Jackman é galã, tem um jeito cavalheiresco, bonitão, charmoso.  E era ator de musicais antes de ser o Wolverine!

Vitto: Aí é que tá! Na tela, o cara se transforma.

Drizy: Mesma coisa o Magneto. Vitto, você que leu, Ian McKellen seria tua primeira opção para Magneto?

Vitto: Nope! Mesmo sendo o ator magnânimo de Deuses e Monstros.

Drizy: E de O Aprendiz.

Skywalker: Tipo, ele é o Gandalf, né? E o Gandalf não tem nada a ver com o Magneto, certo?

Drizy: Haha, certo Sky! Ele é o Gandalf do Senhor dos Anéis. Quem pensava nele para Magneto? Só o Bryan Singer e ele acertou em cheio.

Vitto: Sim, porque mesmo não tendo o perfil, o tipo físico adequado para o personagem, ele é um ator tão maravilhoso que reinventou o Magneto. É uma releitura própria e brilhante que o McKellen fez do personagem.

Skywalker: O cara é fantástico!

Drizy: Ele injetou uma elegância sádica no personagem. E convence como um defensor daquele propósito de supremacia mutante.

Vitto: De fato! Se eu um mutante fosse, iria para o lado dele sem pestanejar. Falando bem sério.

Drizy: Hahaha! O discurso dele é convincente e o cara é persuasivo. Mas faz frente ao Patrick Stewart, né? Que era uma escolha óbvia para Xavier. E só aquele jeito paterno e protetor dele já me faria ir para o lado dos X-Men.

Vitto: Escolha óbvia, verdade. Mas James McAvoy não era quem eu esperava pra Xavier. Mesmo um Xavier jovem. E ficou sensacional.

Drizy: Já o Fassbender tem bem o tipo físico esperado para um Magneto jovem.

Vitto: Jennifer Lawrence é boa como Mística; é durona e tal. Nesse e em Jogos Vorazes. Já na vida real ela é uma graça. Carismática, doce, sorridente.

Skywalker: Vitto e sua paixão pela Lawrence.

Vitto: Mas é isso mesmo. Ela faz o tipo 'Queridinha da América' em entrevistas. É engraçada, espontânea, bonita, jovial... Bem longe de vilã ou de guerreira. E faz muito bem os dois papéis.

Drizy: Pois é! Então, muitas vezes, a escolha menos provável é que nos surpreende. A gente se apega muito ao tipo físico, à aparência semelhante quando fala em dreamcast e, nessa, a gente acaba vacilando. Vê a Jennifer, aproveitando que você a citou. Ela foi execrada pela maioria dos fãs de Jogos Vorazes no início, ao ser escalada como protagonista. E, hoje, alguém consegue imaginar uma Katniss melhor? Que transmita tão bem toda a atitude, a aflição, os sentimentos contraditórios da personagem? Aquela complexidade, aquele perfil atormentado?

Vitto: Não mesmo. E ela é uma das principais responsáveis por fazer Jogos Vorazes funcionar.

Skywalker: Não vi ainda. Mas a Drizy falou que vou gostar.

Drizy: É futuro distópico. Você vai curtir!

Skywalker: Falou as palavras mágicas. Se dissesse sci-fi tinha me ganhado definitivamente.

Drizy: Hahaha!

Vitto: Porra, muda teus horizontes!

Skywalker: Não. Sou feliz assim =) Voltando ao assunto, é isso que me irrita nos fãs de livros. Eles falarem que o tipo físico não é o correto para o personagem. Em quadrinhos, pelo menos, você tem uma referência visual. Livro não tem! Tem descrições, mas eu aposto que muita gente não imagina o personagem de acordo com as descrições quando lê.

Drizy: Eu sou uma. Imagino do jeito que eu quero. Não gosto, na verdade, quando o livro me diz como eu devo imaginar. Eu escolho os traços físicos que eu quiser para compor os personagens. Sou eu quem tem que imaginar, então eu escolho =P

Vitto: Tá certa. Eu não me prendo às descrições.

Drizy: Se Harry Potter seguisse à risca as descrições dos livros, mais da metade do elenco teria de ser trocado. Game of Thrones também.

Vitto: Por isso sempre rola o maior escarcéu quando é anunciado elenco de adaptação literária. Nesses momentos, desejo que o Twitter seja um país e eu possa jogar uma bomba nele e explodir todos os chatos de galocha dos fandoms.

Drizy: Hahaha! Desejo de todos.

Skywalker: Não tenho twitter, grazadeus!

Vitto: Cada um imagina um ator diferente, o que seria “perfeitoadequado” para a adaptação. É muito relativo.

Drizy: Claro que não dá pra fugir muito. Tipo, pegar a Dakota Fanning pra Hermione ou o Jack Black pra Snape, né?

Vitto: HAHA! Daí também não. Bom senso, lógico! Agora reclamar de Jennifer Lawrence quando a menina já tinha mostrado que era uma boa atriz em Inverno da Alma? Daí não, né? Ter uma atriz que está sendo super aclamada (como ela, naquele momento), já dá um prestígio pra coisa. Ela havia sido indicada ao Oscar e todo mundo estava elogiando e reconhecendo o talento dela.

Skywalker: Já é um puta marketing pro filme e, como você disse, dá um prestígio mesmo.

Drizy: Concordo com vocês.  Voltando ao Ciclope, eu acho que Edward Norton surpreenderia. Creio que ele convenceria como líder e se destacaria no papel.

Edward Norton
Vitto: Só a presença de um ator desse porte já daria um destaque.

Skywalker: E acho que, se fosse o Norton mesmo, o Singer não reduziria o personagem ao que ele reduziu.

Drizy: Certamente, não. Talvez veríamos mais embates entre Wolverine e Ciclope. O anti-herói e o herói clássico.

Vitto: Que é o que faltou, né? Um é a antítese do outro. O confronto de ideias ali seria genial. O racional vs o passional. O estrategista vs o impulsivo.

Drizy: Nem fala que eu tenho vontade de voltar ao ano 2000 e pedir para o Singer refazer o filme com a personalidade dos mutantes sendo mais condizente com as dos quadrinhos.

Vitto: Hahaha! Dá vontade mesmo. É o que a gente vê, mais ou menos, nos Vingadores. O Capitão América e o Homem de Ferro. Jamais Stark poderia liderar o time. Ele não tem senso de responsabilidade pra isso.

Drizy: Exatamente! E um anti-herói nunca é a melhor opção para sustentar um filme de equipe. Sempre funciona melhor como coadjuvante. Mesmo que o Stark roube a cena em Vingadores, todos tem relevância ali e em nenhum momento a gente tem a impressão que o Stark está levando o filme nas costas, sozinho. 

Vitto: Até porque o Loki cumpre essa função.

Drizy: Haha, né? Mas todos os heróis tem seu momento ali. E o Capitão lidera a equipe.

Skywalker: Anti-herói sempre foi coadjuvante. Vide Han Solo.

Vitto: Tava demorando pra citar Star Wars.

Drizy: Hahaha! Eu gostaria de citar Tintin também. O Capitão Haddock não é necessariamente um anti-herói, mas é um contraponto do Tintin. Um é o repórter íntegro, sério, bom, justo, disposto a ir até o fim. O outro, o Capitão, é impulsivo, faz julgamentos precipitados, bebe muito, grita com todo mundo, perde a calma com facilidade, é cético em relação a tudo. Ele funciona ao lado do Tintin. Se a história se concentrasse nesse personagem, se esgotaria muito fácil. Ele não tem a curiosidade e o senso de aventura do Tintin. Não é um personagem que funcionaria de maneira isolada. O ceticismo e a irritabilidade dele nunca o levariam muito longe.

Skywalker: Boa!

Vitto: Chaves e Quico. Quico é meio anti-herói.

Drizy: Haha, é um exemplo que funciona bem neste contexto que estamos discutindo.

Vitto: Tanto que o Quico tentou ter programa solo e não deu certo.

Drizy: Verdade. Sirius Black é o meu personagem favorito de Harry Potter, mas funciona como coadjuvante do Harry. E eu acho que o Wolverine é um personagem que funciona nos X-Men. Não gosto da revista solo dele, apesar de curtir a Arma X e a Origens porque ambas tem conceitos interessantes. Mas eu não gostava dos episódios dos desenhos animados quando eram concentrados apenas nele. Acho que é um personagem interessante, mas com os X-Men.

Vitto: Também acho. Tanto que os filmes dele são ruins, os dois.

Drizy: Eu até gosto, mais ou menos, do segundo. Acho bem feito, tem umas cenas legais, mas não acrescenta nada. Dispensável. Uma aventura isolada e trivial do Wolverine.

Skywalker: Vou ver ainda os do Wolverine. Mas não sei se foram os trailers, a overdose do personagem na trilogia, ou se eu não vou com a cara dele mesmo. O fato é que me deixou com preguiça de ver. Tô enrolando. Baixei os dois filmes e estão aqui.

Vitto: Você sempre gostou dos bons moços.

Drizy: Nada, ele gosta do Darth Vader.

Vitto: Gosta do Anakin Backstreet Boy.

Drizy: Hahaha!

Skywalker: Meu, vai te catar! Tu vive me enchendo com isso.

Drizy: Mas é real que você curte os tipos clássicos, Sky.

Skywalker: Sim. Eu gosto do Luke Skywalker. Herói mais clássico que esse? Mas eu não gosto muito de super-heróis.

Drizy: Mas como você gostou de X-Men, eu posso apostar que, se o Ciclope tivesse sido retratado com mais fidelidade às HQs, seria o seu personagem favorito. O líder racional que segue as regras.

Skywalker: Eu gostei do que li sobre ele. Acho que você está certa.

Vitto: Bem, não falamos de Jim Caviezel ainda.

Jim Caviezel
Drizy: Ele seria uma escolha mais do que justa e digna. Uma pena que tenha sido o escolhido, mas precisou abandonar o barco porque estava envolvido nas gravações de outro filme.

Vitto: Suas escolhas seriam essas, então? Burns, Norton e Caviezel?

Drizy: Acho que o Caviezel em primeiro lugar. Eu gostei muito dele em O Conde de Montecristo. Aliás, eu gosto muito do filme. Acho o elenco bem selecionado. O Guy Pearce é o vilão.

Vitto: Que é um ator foda também!

Skywalker: Fez Memento, sensacional.

Drizy: Sim! E o Caviezel tem o biótipo exato para o papel. Uma escolha mais óbvia, talvez (acho que, nesse caso, é um ponto discutível), mas creio que funcionaria super bem.

Vitto: Seria minha escolha também. Sério, íntegro, frio, distante, líder, pisa na cara dos anti-herói.

Drizy: Hahahaha! Exatamente. Impõe respeito, tem atitude e carisma para liderar. Cai bem como o cara correto, responsável, bom moço e outras características supracitadas aqui.

Jim Caviezel
Skywalker: Acho que combinaria, sim. Uma pena que não rolou.

Vitto: E ele era sempre cogitado para papel de super herói. Superman, Ciclope... Sempre os heróis certinhos.

Drizy: Os bonzinhos.

Vitto: Saindo da lista, tirei alguns outros nomes de fóruns que o pessoal cogitou: Joseph Gordon Levitt, Gerard Butler, Colin Farrel, Josh Hartnett. Considerações?

Drizy: Gente, de onde me tiram isso?

Vitto: Hahahahahhaha!

Drizy: Joseph e Josh eram dois moleques quando o Singer fez o primeiro filme. Acho que eles tinham menos de 20 anos ou, no máximo, uns 22. Não gosto do Gerard Butler, acho um ator forçado, histriônico e o típico machão de Hollywood. Não funcionaria no papel. Gosto do Colin Farrel, mas o cara funciona como vilão ou anti-herói. Ficaria forçado como herói clássico; não seria uma ideia fácil de comprar.

Vitto: Mas consideraria Joseph e Josh atualmente, em um reboot?

Skywalker: O Joseph foi o Robin do Batman do Nolan, né?

Drizy: Foi. Não acho que o Joseph tenha a ver.  O Josh eu só vi em As Virgens Suicidas, ainda muito novo; depois em Sin City, em que ele aparece bem pouco, mas tem uma presença marcante; e 30 Dias de Noite (que eu não lembro muito bem, requer revisão). Não posso falar muito dele como ator. Para uma versão jovem do personagem, quem sabe? Ele tem jeito de herói improvável, mas poderia ser o que a gente estava falando mais cedo, das escolhas improváveis que nos surpreendem.

Josh Hartnett
Vitto: E quais são as expectativas quanto ao Tye Sheridan como Ciclope em Apocalypse?

Drizy: Eu gosto bastante do trabalho do Sheridan. Vi a estreia dele no cinema em A Árvore da Vida do Terrence Malick, mas ele tem um desempenho fantástico mesmo em Mud do Jeff Nichols. Adorei o filme, a atuação do Matthew McConaughey e o Sheridan surpreende. É um ator de filmes indie, tem poucos títulos no currículo, mas, ainda assim, é um currículo invejável.  Já começou muito bem e vem se mostrando promissor.

Skywalker: Olha aí, vocês sempre dizem que eu nunca vejo nada, mas Mud eu vi e adorei o filme. 

Vitto: Também gostei de Mud. Um tanto metafórico demais, mas curti o resultado. Não lembro do personagem dele em A Árvore da Vida, mas talvez porque assisti sem atenção... preciso rever. Gostei dele em Joe, já viram? O filme não é grande coisa, mas ele manda bem mesmo.

Drizy: Não vi ainda... Porque é protagonizado pelo Nicolas Cage e tenho receio dos filmes dele.

Vitto: É pra ter mesmo...

Skywalker: Não vi. Mas o que acharam da escolha dele para Ciclope?

Tye Sheridan
Drizy: Gostei. Escalaram um ator jovem que vem se destacando no meio. E ele é talentoso. Espero que não desperdicem um bom cast.  

Vitto: Em se tratando de Sheridan, que é o rosto da Prada, conhecida por prever os next big thing de Hollywood, e ainda mais sendo elogiado pelas atuações em filmes indie, seria muito vacilo jogar o cara pra escanteio.

Drizy: Concordo. Ele deu uma entrevista recentemente, dizendo que o personagem se aproxima bastante de seus outros papéis. Será uma versão mais angry e lost do Ciclope, nas palavras do próprio. O que faz sentido, né? É um jovem mutante, com uma história trágica a despeito da pouca idade, com um poder incontrolável e que, francamente, ninguém gostaria de possuir, uma vez que é impossível manter um contato visual com quem quer que seja.

Skywalker: E é um poder perigoso. Espero que o Sheridan saiba passar isso.

Drizy: Também espero. Fico na torcida para que vejamos uma versão digna do personagem na telona.

Vitto: Levando em consideração o quanto o Singer parece gostar do personagem, eu não teria muitas expectativas favoráveis.

Drizy: De fato, mas não custa sonhar.

Vitto: Vamos fechando então?

Skywalker: Bora! Valeu, Drizy! Bem legal estrear no Sonhos Empoeirados.

Vitto: Valeu, sempre que quiser, chama a gente pra uma conversa amiga :)

Drizy: Podem deixar! Vocês ainda vão aparecer muito por aqui. Obrigada pela participação! :)

Vitto: Eu que agradeço o convite!

Skywalker: Até mais!

Drizy: *Salut!*

Um comentário:

  1. Ciclope também sempre foi um dos meus preferidos ♥
    E, nossa, o Jim Caviezel para mim seria perfeito.
    Muito legal esse post.

    Beijos
    http://saracavalcantes2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir