Páginas

domingo, 23 de abril de 2017

[Fashionismo nerd] Lisa Carol Fremont (Janela Indiscreta)


Há quanto tempo eu não posto um novo artigo nesta seção! Deve fazer mais de um ano. Afinal, escrever sobre moda permanece um desafio para mim, uma vez que não é realmente a minha praia. Mas vamos ao fashion icon de hoje, aliás, Grace Kelly não poderia faltar por aqui ;)

Janela Indiscreta é um thriller americano de 1954, dirigido pelo mestre do suspense Alfred Hitchcock e, possivelmente, um dos meus filmes favoritos do diretor (embora seja muito difícil selecionar um favorito de sua filmografia). Estrelado por James Stewart e Grace Kelly, o longa acompanha o fotógrafo L. B. Jeffries (Stewart) que, entediado, após quebrar a perna e ter de ficar de molho em casa, em seu apartamento em Greenwich Village, passa a espiar os vizinhos com o auxílio de binóculos de sua janela. O que era para ser uma passatempo descompromissado, ainda que antiético, acaba se transformando em um intrincado mistério a ser resolvido, quando Jeff passa a suspeitar que um dos vizinhos assassinou a esposa. Há vários indícios de um homicídio e, ao lado da namorada Lisa (Kelly), e da enfermeira Stella (Thelma Ritter), ele se propõe a investigar, acompanhando o desenrolar dos fatos da janela de seu apartamento.

Paralelamente à investigação do assassinato, Lisa tenta convencer Jeff a se casar com ela, mas o fotógrafo está relutante. Ele garante que ambos são de mundos muito diferentes. Ela é uma glamourosa modelo e editora de uma revista de moda que usa vestidos caríssimos vindos direto de Paris. Enquanto ele, tem um estilo bem simplório não apenas de se vestir, mas de viver. Lisa é persistente e, também, muito inteligente para uma personagem da sexista Hollywood da década de 50 (Hollywood continua sexista, mas naquela época era ainda mais). Ela tem um papel relevante na resolução do mistério, arriscando a própria pele ao invadir o apartamento do suposto assassino. Ao final da película, ela aparece trajando jeans comuns, recostada no sofá do apartamento de Jeff, como se desse a entender que abdicou de seu estilo para viver ao lado dele Mas, enquanto o fotógrafo dorme, Lisa deixa de lado seu exemplar de Além dos Altos Himalaias e abre uma edição da famosa revista de moda Harper's Bazaar, mostrando que permanece sendo a mesma Lisa de sempre.

E já que tocamos no assunto dos vestidos vindos direto de Paris de Lisa, vamos dar uma olhada em alguns dos belos modelitos que ela ostenta neste filme com elegância e glamour dignos de uma princesa (título que Grace Kelly viria a portar dois anos depois do lançamento deste filme):


O mais lembrado de todos os figurinos usados por ela em Janela Indiscreta, é com certeza este preto e branco, desenhado por Edith Head, uma das mais notáveis e certamente mais relevante figurinista da história do cinema.


Decote em V profundo, mangas curtas, saia rodada com camadas em chiffon e tule e um  detalhe floral, cinto discreto de couro preto e, completando o look, as sandálias pretas de salto alto com tiras assimétricas. Sem falar nos acessórios (brincos, colar, pulseiras), o cabelo digno de uma estrela e a maquiagem irretocável, com destaque para o batom vermelho. Toda a composição do outfit caiu como uma luva para Grace Kelly, valorizando seus contornos e destacando a silhueta.



Neste, ela combina o top halter neck de seda branca e saia midi justa, com o chapéu pillbox (também conhecido como chapéu de aeromoça, um charme na época), cujo discreto véu cobrindo o rosto dava o toque final. As jóias são um destaque à parte, com brincos proeminentes, colar de pérolas e  um bracelete ornamentando ainda mais seu look.



Este último é meu favorito. O vestido branco estampado, leve, descontraído e bem feminino, contrasta com o glamour dos antecessores, mas ainda assim é muito elegante. A peça, sem mangas e marcando a cintura, dá um ar mais sonhador, romântico e aventureiro para a personagem.

*Salut*

Nenhum comentário:

Postar um comentário