Páginas

domingo, 11 de dezembro de 2016

[Café com páginas] Temporada de Acidentes



Eu venho utilizando muito a frase não existe história ruim, existe história mal contada nos últimos tempos. Infelizmente, Temporada de Acidentes de autoria da franco-irlandesa Moïra Fowley-Doyle, é daquelas obras que se enquadram na famigerada categoria de livros com premissa excelente, mas mal desenvolvida. 

Todo ano, no mês de outubro, a família de Cara é assombrada pela temporada de acidentes que dá título à história. Eles têm de ser excessivamente cautelosos, guardando todas as facas e outros objetos pontiagudos em gavetas com chave e evitando mexer com fogo. A atenção deve ser redobrada no trânsito e Cara e seus irmãos devem até mesmo deixar de comparecer às aulas de educação física. Mas nem todo o cuidado é suficiente para evitar que eles sejam vítimas da sombria temporada que assalta a família todos os anos na mesma época. As sequelas vão de simples arranhões e cortes até tragédias de proporções avassaladoras e fatalidades.

Como desgraça pouca é bobagem, Cara – ao lado de sua irmã, Alice, do irmão de criação, Sam, e da melhor amiga, Bea – se vê às voltas com um mistério, envolvendo a estudante Elsie, que costumava ser sua amiga no passado e aparece em absolutamente todas as suas fotos dos últimos dezessete anos (de férias, festas e momentos familiares mais íntimos). Não seria nada incomum, não fosse o fato de ela surgir nas fotografias como um fantasma, quase sempre meio fora de quadro; aparentemente a câmera só registra alguns meros detalhes seus, como uma ponta do seu suéter ou um pedaço de seu cabelo. Há algo de macabro nisso que preocupa os quatro adolescentes. Para completar, Elsie está desaparecida, não dando as caras na escola há um tempo considerável.

Como eu mencionei alguns parágrafos atrás, Moïra peca na execução da história. Temporada de Acidentes começa bem, mas degringola da metade em diante. A autora mete os pés pelas mãos e dá ao leitor a desconcertante impressão de que não tem ideia do desfecho que deve dar à sua história. Os acontecimentos começam a se atropelar na segunda metade, como se a autora estivesse cansada de escrever e apenas quisesse concluir a trama de uma vez.

É uma pena, pois as primeiras páginas são promissoras, anunciando um suspense envolvente e um clima denso que parecia capaz de cativar o leitor até as últimas linhas. Mas ao término da leitura, ele soa como mais um livreco teen. O suspense é diluído, a cronologia dos fatos que antecedem as temporadas de acidentes é confusa e a própria temporada, bem como o mistério envolvendo Elsie, nunca são bem explicados (ou justificados). 

O potencial da trama é totalmente desperdiçado em meio a lugares-comuns e doses excessivas de romance e conflitos adolescentes mal resolvidos. Aliás, essa é uma boa palavra para definir a obra: mal resolvida.

2 comentários:

  1. Oiii Andrizy

    Eu tinha uma super vontade de ler esse livro, a premissa é original e interessante, mas infelizmente já li muita resenha que diz exatamente o mesmo que vc, está mal desenvolvido, não prende, falta algo. Uma pena mesmo...

    Beijokas

    Resenha Atual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Infelizmente ele começa muito bem e tinha tudo para ser genial. Mas a narrativa desmorona da metade para o final. Não sabia que outros compactuavam dessa opinião. Vi algumas resenhas bem elogiosas e não entendi o que viram no livro... Mas opinião é opinião, né? Vou dar uma olhada em outras reviews. Obrigada pelo comentário, Alice! Bjos <3

      Excluir