Páginas

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

[Meus escritos] A bela ausência da memória

A Persistência da Memória de Salvador Dalí 

Às vezes penso que seríamos mais felizes sem lembranças.
Não sofreríamos de saudades e nem guardaríamos rancor.
Não sentiríamos uma falta absurda dos momentos bons que se foram
e nem das pessoas que não vão voltar.
Nem teríamos de aprender a lidar com as cicatrizes que ficaram dos momentos ruins.
Não gastaríamos tanta energia em tentar superar ou tentar esquecer.
Talvez a vida fosse menos bela com a ausência da memória,
mas certamente mais alegre.
Há dias em que eu preferia viver sem ter lembranças.
Feliz daquele cuja memória é curta e seletiva.

(Novembro, 2012)

Nenhum comentário:

Postar um comentário