Páginas

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

[Meus Escritos] Meros Desconhecidos




"A estranheza que nos une, pelo encantamento do desconhecido. A estranheza que nos separa, quando nossos conhecidos se mostram estranhos novamente. Se pensarmos um pouco, veremos que no fundo a vida é um eterno ciclo... que termina exata e ironicamente no ponto de partida".
Extraído de http://www.gelonegro.com.br/?p=3380

A vida é estranha. As pessoas começam sendo estranhas uma para a outra. Então se tornam amigas. Depois mais do que amigas. Então quase inimigas. Depois meras conhecidas. Para logo depois se tornarem praticamente estranhas novamente.  

Então chegamos à conclusão de que se nós soubéssemos que o processo de se afastar do outro seria tão triste e doloroso... Jamais teríamos nos aproximado. Trocaríamos aquela nossa primeira conversa em que parecemos tão iguais e equivalentes, pela eterna dúvida 'O que poderia ter sido e não foi? Como seria se tivéssemos começado a nos falar e eu lhe desse a chance de me conhecer melhor?'... Se voltássemos no tempo, preferiríamos ter ficado na dúvida.
 
O universo, irônico (também frio e calculista), zomba de nós. Sou capaz de ver sua face, e é o rosto de um estrategista.

(2012)


Nenhum comentário:

Postar um comentário